do medo de ser feliz

Prendeu a respiração para evitar falar o que sentia. Ele insistiu por curiosidade e porque não gostava de segredos.

Após toda a resistência do mundo, ela falou. Mas falou com um quê de tristeza mais forte que o habitual e ele achou que aquilo parecia uma despedida.

Mas não era.

– É que eu tenho tanto medo de amar você. – esquivando-se da proteção do abraço dele, não porque queria, era involuntário.
– Mas amar é algo tão bom, querida. – insistindo com um leve toque nos cachos dela.
– Eu sei. Só é difícil acreditar que, sendo realidade, eu não vá sofrer. – e fixou o olhar no horizonte, tentando segurar as lágrimas que queriam dominá-la.

E ele a olhou com tanta ternura, mas ela nem percebeu.

Não era a realidade que a fazia sofrer, mas a ilusão de realidade que ela sempre criava para si. A sua maior determinação na vida era fugir do amor e, até então, ela conseguia escapar com maestria.

Porém, azar do medo.
E sorte dela que ele não desistiu.

5 pensamentos sobre “do medo de ser feliz

  1. É, mas quem sabe ela não deixou ele desistir, né?

    Porque são as pequenas coisinhas que, as vezes, ela faz, que o faz querer continuar; algo na maneira como ela se move, no seu sorriso…
    Isso é muito bom.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s