Você se importa com sua rede social?

Nos últimos dias 10, 11 e 12 de junho ocorreu, na cidade de Campina Grande (PB), o XII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Nordeste, o Intercom Regional.

E, como pesquisadora dedicada que sou, estive participando da Jornada de Iniciação Científica, o conhecido Intercom Júnior, modalidade para estudantes de graduação. Lá apresentei o artigo As redes sociais e sua apropriação para comunicação local e alternativa no RN, explicando um pouco como funciona a interação dentro de comunidades virtuais do Orkut.

Esse estudo tenta, basicamente, mostrar o quão é importante focar no que as pessoas falam na internet e não apenas achar que um simples clique transforma algo. Assim como nas relações que construímos no âmbito offline, a qualidade deve ser igualmente importante nas relações online. De que adianta cultivar um número gigante de “amigos”, de “comunidades” ou de “seguidores” se não acrescento absolutamente nada na vida deles (real e virtual)?

Web 2.0, já dizia Tim O’Reilly, significa participação, compartilhamento. Com ela saímos da condição de mero expectadores e nossas opiniões ganham espaço. Podemos, então, questionar e sugerir novas perspectivas. Para isso, na maioria das vezes, utilizamos nossa rede social, as pessoas e as conexões que fazemos com elas. Sim, porque rede social é criação de laços, troca de ideias, preocupação, envolvimento. Tenha em mente que Orkut, Twitter, Facebook, etc não são redes socais, são apenas sites, como afirma a Raquel Recuero.

Por causa disso, nem toda comunidade virtual pode ser chamada como tal. Pare e pense um pouco em como você age dentro das comunidades virtuais que você participa no Orkut, como você se apropria delas, por exemplo. Você pode simplesmente estar associado a elas e não contribuir com o capital social dessas comunidades ou pode ir lá e participar de fóruns, enquetes e garantir que essas comunidades façam alguma diferença no dia-a-dia de quem habita o mesmo ambiente virtual que você.

Para o Twitter vale o mesmo. Você consegue interagir com, pelo menos, a maioria os seus seguidores, mesmo sem o compromisso de seguir e ser seguido? Nesse caso, a manutenção dos laços sociais é mais difícil, porém não é impossível. Tudo depende da conduta que você adota, se você demonstra interesse em algo, haverá quem se interesse por você.

E como uma rede social pode contribuir para a comunicação alternativa e local? Se você utiliza a sua rede social para produzir e compartilhar conteúdo midiático, ou seja, se você transforma sua rede social em mídia social, você contribui para o desenvolvimento de uma comunicação alternativa, afinal, alternativo é tudo que foge do que é tradicional, nesse caso, os veículos de comunicação de massa. A questão local é que, se você reparar, mesmo que a internet quebre os limites geográficos, te dando acesso a qualquer pessoa em qualquer parte do mundo, as conexões que você faz na web parte primeiramente de quem está mais próximo de você geograficamente.

Dei como exemplo de tudo isso que falei acima as comunidades virtuais Felipe Camarão – Natal/RN e RN Política. A primeira praticamente não tem interação, a segunda faz o contrário e muito bem feito. São duas realidades opostas na imensidão do Orkut. Para uma eu recomendo interesse, para a outra… manutenção.

O que aprendi com essa pesquisa é que, mesmo que pareça informação velha, a qualidade da nossa rede social é mais imporante que a quantidade. Para se fazer notável, seja como profissional ou pessoa, é preciso escolher bem onde estar e com quem estar, assim como fazemos fora da internet. Eu aposto uma caixa de Bis que você não escolhe os seus amigos nem o lugar onde vocês se reúnem para pôr o papo em dia de qualquer jeito, então, por que fazer isso na web?

No mais, recomendo a leitura integral do artigo, que você pode baixar nesse link. E, para os impacientes, segue abaixo a apresentação do texto. Divirtam-se e fortifiquem seus laços sociais!

3 pensamentos sobre “Você se importa com sua rede social?

  1. Pingback: Tweets that mention Você se importa com sua rede social? « neoBudega -- Topsy.com

  2. Muito bom o texto.
    Sua percepção e contribuição a esse tema realmente fizeram sentido na minha vida [real ou virtual].

    Participar, só por participar, de sites que podem contribuir para a construção de redes sociais não faz sentido algum. (Ou pelo menos não devia fazer).

    Espero que as pessoas, ao lerem esse texto, possam repensar suas contribuiçõs para suas redes sociais.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s